segunda-feira, 12 de outubro de 2015

HERÓIS #2 - RAGNAR LODBROK

Ragnar Lodbrok, um dos maiores heróis do povo viking (chamados de dinamarqueses pelo autor Bernard Cornwell) é o novo integrante da coluna Heróis.

Quem foi Ragnar Lodbrok?
Um dos mais populares heróis nórdicos do povo viking, Ragnar foi um exímio comandante, considerado uma praga para a França e a Inglaterra.

Seu sobrenome faz referências ao tipo de vestimentas que o herói costumava usar, podendo ser traduzido como "calças-peludas".

Vários dos contos que contam sobre Ragnar Lodbrok parecem ser originados de feitos de outros vários heróis vikings e sua comprovação histórica é motivo de discussão entre historiadores encarregados das pesquisas sobre o mito.


Historicamente, Ragnar foi filho de Sigurd Ring com Alfild. Relatos contam, que após a morte de Alfild, o rei Sigurd iniciou uma busca pela belíssima Afsol, princesa de Jutland. A família da princesa não aprovava o matrimônio entre ela e o rei sueco, gerando desse modo uma batalha na qual Sigurd saiu vitorioso. O pai da princesa Afsol, afirmou em algum momento que preferiria que sua filha fosse para o Valhalla se tivesse que se casar com Sigurd. Com esse pensamento, o rei de Jutland deu a sua filha um copo de veneno, matando-a. Abalado com a recente morte de Afsol, o rei Sigurd afirmou que não poderia viver sem sua amada e se lançou junto dela no barco funerário (tradição viking, onde o falecido é colocado em uma embarcação, que logo depois de alcançar distância é alvejada por uma chuva de flechas de fogo, transformando-se assim numa pira funerária), esfaqueando-se e morrendo ao lado de sua bela princesa.

Órfão de pai e mãe, Ragnar tornou-se um pirata, levando sua frota de navios para atacar a França diversas vezes, usando os rios para navegar por dentro do coração do Império Franco.


Em 845 d.C., acontecia um de seus mais grandiosos atos, quando Ragnar comandava uma frota de
120 navios longos que navegavam pelo rio Sena. O rei francês Carlos, o Calvo, neto de Carlos Magno, reuniu um exército para se opor ao ataque de Ragnar, o que acabou sendo em vão, pois quando o exército viking derrotou a primeira divisão, as demais começaram a recuar. Ragnar invadiu a cidade de Paris durante o período de Páscoa, pilhando e ocupando os arredores parisienses. Após um pagamento de 7.000 libras francesas, Ragnar, junto de seu exército, se retirou de Paris. Ragnar continuou uma série de ataques bem-sucedidos contra a França durante meados do século IX e lutou diversas guerras civis na Dinamarca.

Em um de seus trajetos, Ragnar naufragou na costa da Nortúmbria e sobreviveu com seus homens, mas após conhecer os nortúmbrios e travar uma batalha com eles, muitos dos seu homens foram mortos e o herói foi capturado pelo rei Aelle da Nortúmbria. o rei Aelle ordenou a execução de Ragnar, deixando claro que o herói devia ser jogado em um poço repleto de serpentes venenosas para que fosse picado até a morte.

Conta a lenda do Krákumál, que provavelmente foi escrita por volta do século XII na Islândia, que Ragnar cantou com orgulho sua canção da morte, pois em breve entraria no Valhalla para festejar junto dos heróis e deuses e disse que sua morte seria vingada por seu filhos.

"Me alegra saber que o pai de Balder faz prontos os bancos para um banquete . Logo estaremos bebendo cerveja em chifres curvos. O campeão que entra na morada de Odin não lamenta a sua morte. Não entrarei em seu salão com palavras de medo em meus lábios. Æsir vai me receber. A morte vem sem lamentos . Ansioso sou eu para partir. O Dísir me chama para casa, aqueles a quem Odin envia para mim. Alegremente eu hei de beber cerveja com Æsir . os dias da minha vida são terminados . Eu irei rir quando  morrer. "

Segundo a lenda, Ragnar foi casado três vezes. As duas mais conhecidas são a guerreira Lagherta e a princesa Aslaug, que segundo o Conto de Ragnar Lodbrok, escrito em meados do século XIII, era filha de Sigurd e Brynhildr. Ivar, Ubba, Björn, Sigurd e Halfdan foram os filhos de Ragnar com suas 3 esposas. Relatos dizem que ao ouvirem a forma como o pai fora assassinado, Ivar e Ubba juraram vingança ao rei Aelle. Em 866 D.C., eles atravessaram o Mar do Norte com uma enorme frota de navios.

Os filhos de Ragnar chegaram até a Inglaterra e capturaram o rei Edmundo, que foi amarrado a uma árvore onde teve seu corpo alvejado por flechas dinamarquesas. Após o último suspiro de vida, Edmundo foi decapitado.

Ivar, Ubba e seus homens deram início a uma onda de saqueamentos em York, que foi onde conheceram o rei Aelle em batalha. Diz a lenda que os filhos de Ragnar submeteram o rei Aelle a um método pouco comprovado de tortura viking, onde a vítima fica de joelhos em meio a dois postes de madeira onde suas mão são atadas e tem suas costas rasgadas, as costelas quebradas e os pulmões colocados para fora. O método em questão é chamado no original de Blood Eagle (Águia de Sangue). Outras fontes nos informam que os reis Aelle e Osberth foram mortos em batalha.


Todas essas batalhas passaram a ser um prelúdio para a longa campanha do rei Alfredo, o Grande contra o povo dinamarquês.

Na mídia, podemos acompanhar a história (fictícia ou não) de Ragnar Lodbrok na série de televisão Vikings, onde o ator Travis Fimmel faz o papel do herói nórdico em uma excelente atuação. 

Também podemos acompanhar os livros Crônicas Saxônicas, do autor Bernard Cornwell, e a recém estreada série The Last Kingdom, baseada nos livros do autor.






Bom, espero que tenham gostado. Lembrando que as fontes sobre a história do herói nórdico são escassas.

Até a próxima!

9 comentários:

  1. Rhagnar, juntamente com Spartacus, são homens que literalmente fizeram histórias... As lendas sobre eles são fantásticas e é emocionante ver os nórdicos, que tecnologicamente falando seria muito mais "atrasados" em relação a países como a França e a Inglaterra, conseguiram invadir e saquear tantoooos reinos e matar tantos soldados do(s) Rei(s), é incrível!! *-*

    Pena que as fontes são escassas e temos muita especulação sobre suas histórias!!

    Adoro Vikings estou ansiosa para a próxima temporada, apesar de sentir que já está se encaminhando ao fim =/

    Ótimo texto Phelipe!! Parabéns pela pesquisa!! *-*

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Denise! Bem-vinda!
      Então, Spartacus já tá na lista de próximos heróis aqui do blog haha.
      Sim, dá um tristeza em lembrar que a série Vikings já está rumando para suas temporadas finais, mas The Last Kingdom tá aí, e acabou de sair do forno.

      As lendas sobre os heróis nórdicos são todas fantásticas, a de Beowulf é uma das mais emocionantes! Pretendo trazer para essa coluna muitas e muitas lendas! Estou colocando todo meu tempo livre em cima de pesquisas e traduções de textos antigos, para que assim eu possa trazer um conteúdo confiável para vocês que participam do blog.

      Obrigado pelos elogios!

      Um beijo, volte sempre!

      Excluir
    2. *Vish olha só. Demorei, mas voltei! :p*

      Aeewwww Vou aguardar, ansiosamente, pelo Spartacus \o/ e estou curiosa para saber os próximos heróis (e quem sabe heroínas tbm? rs)! Estarei acompanhando! =D

      Beowulf é fantástico! O mais incrível nessas histórias principalmente as de origem anglo-saxã/nórdica é a ausência do medo da morte! Lutar com uma *bravura* inabalável, com desejo de vitória... Isso é incrível! Vikings retrata isso tãooo bemmmm, que já fico com vontade de assistir tudo novamente rsrs

      The Last Kingdom é bom? Ainda não assisti!

      Bom trabalho e fico esperando as novidades!! *----*

      =D

      Bjs

      Excluir
    3. É bom sim, Denise. Não segue o livro de cabo a rabo, mas é bem fiel. Pode assistir, tenho certeza que irá gostar!

      Excluir
  2. Excelente série!!! Parabéns pelo post, ficou muito bom.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Como um amante de história, me achei no dever de criar uma coluna assim e contar a história e os feitos dos meu heróis favoritos. Caso haja algum sobre quem queira saber, é só comentar aqui e eu vou correr atrás de pesquisar em fontes seguras sobre a história.

      Obrigado pelos elogios, passe sempre!

      Excluir
  3. Parabéns pela matéria. Adoro saber das histórias dessas épocas. Já havia visto algo sobre ele mas não sabia que ainda tinha tanta coisa, como os filhos que ele teve.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bem vinda ao Bravura, Stefanny!
      Olha, a história de Ragnar é uma das que mais me fascina. Indico a série televisiva Vikings, onde um pouco da história do herói é contada. Também indico a série de livros Crônicas Saxônicas, que se passa no período pós-morte de Ragnar e nos apresenta seus filhos já crescidos e tocando o terror na Inglaterra.

      Um forte abraço, Stefanny!

      Excluir
  4. Primeiro: obrigada, do fundo do meu coração, por este post. Como é maravilhoso encontrar um blog que fale de literatura e de mitos medievais, em meio a tanto post sobre YA e livros chick-list chatíssimos. Um alívio ter encontrado o Bravura Literária.

    Segundo: excelente post. Aprendi muito sobre o Ragnar lendo-o. Agora quero embarcar nos livros de Cornwell sobre ele.

    Abraços,
    Ruh Dias
    perplexidadesilencio.blogspot.com

    ResponderExcluir