sexta-feira, 25 de dezembro de 2015

RESENHA: STAR WARS - HERDEIRO DO IMPÉRIO - THRAWN #1

Título: Star Wars - Herdeiro do Império
Série: Trilogia Thrawn #1
Páginas: 472
Autor (a): Timothy Zahn
Editora: Aleph (2014)

Sinopse: 
Luke, Han e Leia enfrentam uma nova ameaça. Cinco anos após a destruição da Estrela da Morte, a ainda frágil República luta para restabelecer o controle político e curar as feridas deixadas pela guerra que assolou a galáxia. O Império, porém, parece não ter morrido com Darth Vader e o imperador. Habitando os confins da galáxia, o grão-almirante Thrawn, gênio militar por trás de diversas ações imperiais, ainda luta para reconquistar o poder perdido. A bordo do destróier estelar Quimera, ele descobre segredos que lhe darão a chance de destruir definitivamente o que restou da Aliança Rebelde, para assim retomar o domínio da galáxia e controlar os últimos dos Jedi.

Tenho esse livro na minha estante há um bom tempo. Sempre tive vontade de lê-lo, mas sempre colocava outras obras na frente. Com o hype altíssimo por conta do novo filme da franquia, decidi interromper uma leitura e encarar o primeiro livro da Trilogia Thrawn: Herdeiro do Império.

A trilogia Thrawn, é uma das mais aclamadas obras do universo expandido de Star Wars. Alguns fãs dizem que é a mais aceitável história após o término do episódio VI. Sem mais delongas, vamos ao trabalho.


Cinco anos se passaram após a Batalha de Yavin, e o Império, que teve seus maiores líderes derrotados, foi acuado, mas ainda mantém focos de resistência pela Galáxia. A Aliança Rebelde não está totalmente em festas, e ainda luta contra uma enorme burocracia para conseguir criar uma Nova República.

Leia está para ser mãe de gêmeos, e tem que dividir seu tempo entre sua atividades políticas, seu treinamento Jedi e sua vida pessoal, já que agora ela e Han Solo estão casados.

Han ainda está se ajustando a sua nova vida, enquanto Luke, o último dos Jedi, precisa carregar todo o peso da Ordem em seus ombros, além de treinar sua irmã, Leia, e futuramente seus sobrinhos.

Do outro lado, conhecemos o grão-almirante Thrawn, um gênio militar e antigo almirante do Império Galático que está lutando parar criar um novo Império, com base nos fundamentos do antigo Imperador. Com isso em mente, ele e Pellaeon, antigo capitão do Império, terão que vencer toda a Aliança Rebelde para assim recriar o antigo sistema.

Joruus C'baoth, um "mestre Jedi", não possui muito destaque, mas podemos notar que ele irá atrás de seus desejos de caçar todos os herdeiros da Ordem Jedi.

Prefiro não me estender muito contando um pouco da história para preveni-los contra possíveis spoilers, pois os acontecimentos marcantes já começam a acontecer logo no início da leitura.


"Quando você entende a arte de uma espécie, você entende toda a espécie.”

Milhões de exemplares dessa trilogia já foram vendidos ao redor do mundo e, é com toda certeza, a melhor história pós episódio VI.

"Herdeiro do Império", foi o primeiro contato que eu tive com o Universo Expandido Star Wars. Timothy consegue nos transmitir por meio dos livros, o mesmo que sentimos quando assistimos aos filmes que antecederam essa trilogia.


Os personagens que já conhecemos foram inseridos e reapresentados com muita excelência, sem mudar nada das personalidades que já conhecíamos nos filmes. Han Solo continua um super badass, Leia se tornou aluna de Luke, e tenta melhorar suas habilidades Jedi, e Luke, meu personagem favorito, continua com os receios de sucumbir ao lado negro da Força.
Além de todos esses personagens, também nos reencontramos com os droides  : R2-D2 e C-3PO, que continuam com as características cômicas dos filmes.

Novos personagens e novas raças também foram inseridas nos decorrer da trama. Entre eles,
podemos citar: Talon Karrde, um contrabandista que assumiu a posição de Jabba, o Hutt; Mara Jade, uma mulher muito intrigante que nutre um certo ódio por Luke Skywalker; Joruus C'baoth, um antigo mestre Jedi e muitos outros personagens.

Logo no início, temos contato com os Noghri, uma raça de criaturas reptilianas que são excelentes assassinos. Creio que essa raça será mais explorada nos seguintes livros da série, pois são muito interessantes e possuem uma característica bem intrigante.



Os novos planetas que nos foram apresentados, foram muito bem construídos e explicados, nos transmitindo uma certa familiaridade com o que já estamos acostumados.

Timothy detalha nas horas certas e sabe muito bem como descrever uma batalha espacial.

A edição da Editora Aleph, está belíssima e conta com poucos erros de revisão. A diagramação é boa e confortável. A capa é excelente! Marc Simonetti arrasou em mais um trabalho.

Bom, galera, falar desse livro é muito difícil, pois qualquer palavrinha a mais pode se tornar um spoiler.

Avaliação:

  • Herdeiro do Império - #1
  • Ascensão da Força Sombria - #2
  • O Último Comando - #3


Espero que tenham gostado! Até a próxima!! Um feliz natal a todos!

6 comentários:

  1. Oi, Phelipe. Essa é uma das trilogias mais recomendadas de Star Wars, e sua resenha me fez entender o porquê. Quero começar a ler logo, de preferência quando terminar Marcas da Guerra (que está com meu namorado, afe). Ótima resenha!

    Até mais, Celly do Me Livrando

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O comecinho é meio entediante, Marcelly, mas depois de uns 4 capítulos o livro se torna fenomenal!

      Beijos!

      Excluir